Avançar para o conteúdo principal

OLHARES|"Farewell" - Sean Riley & The Slowriders



A abrir caminho; tal como os próprios o pensaram, também nós o sentimos ao ouvir "Farewell", o disco de estreia dos Sean Riley & The Slowriders. Não é sequer uma surpresa, quer na sua generalidade, quer na sua especificidade. Na sua generalidade, porque é uma homenagem sentida e honesta a alguns dos maiores songwriters de sempre deste planeta - podem escolher um, dos melhores; na sua especificidade, porque faz algum tempo que se sabia ao que vinham - primeiro, Coimbra, depois, o mundo. Há uns tempos atrás, dizia por aqui que "Farewell" tinha um "jeito de folk-rock requintado, a espreitar deliciosamente um blues". É isso, com toda a simplicidade do mundo, o que nos oferecem Sean Riley, Bruno Simões e Filipe Costa.
Mas o que fica de "Farewell", para além de um azimute bem apontado à América do Norte? Basicamente, ficam três ideias importantes, que deixam os Sean Riley & The Slowriders na mira de um futuro cintilante. Fica o excelente trabalho de composição de Sean Riley; é preciso não esquecer que é de canções que estamos a falar, do espírito inquieto de um cantautor em ascensão. Ficam alguns dos arranjos, especialmente o trabalho instrumental do ex: Bunnyanch, Filipe Costa, a dar uma cor bem diferente a "Farewell" - qual homem dos sete instrumentos. E fica o resultado final, que não sendo o mais singular, mostra desde já um disco envolvente, maduro, verdadeiro e seguro. Depois, o futuro...
Sem explosões, "Farewell" oferece-nos um naipe de boas canções; a necessitarem de crescer na sua individualidade, mas boas canções. Boa estreia!

som Ouvir alguns sons de "Farewell".

capa de Farewell
"Farewell" - Sean Riley & The Slowriders (NorteSul, Lux Records, 2007)

01 Let Them Good Times Roll
02 Moving On
03 Harry Rivers
04 Motorcycle Song
05 Lights Out
06 Marble Arch
07 Isolation Pt.2
08 New Year’s Eve
09 City Of A Million Thrills
10 Twenty-Six Years
11 Spider’s Blues

tipo Folk/Rock
sítio www.photosbyworld.com/e-card/sean_riley
sítio www.luxrecords.com.pt

Mensagens populares deste blogue

AUDIÇÕESBrilhante Pop 2003
São 3 discos pop, mais à esquerda, mais à direita, mais ao centro, trazem ao microfone 3 excelentes vozes femininas:
"Le Jeu" - Balla (2003/Music Mob/58)

Um disco irresistível.
Fantástica a voz sensual de Sylvie C em mais um lúcido disco de Armando Teixeira, melódico, marcado por ambientes voluptuosos, por uma pop interior, estética e poética.
Imageticamente irresistível, qual bandeira gaulesa a flutuar. Depois de um prometedor e excelente primeiro álbum, "Balla", Armando Teixeira voltou a surpreender as massas melómanas em 2003, com um disco cheio de charme e personalidade, sustentado pelo rigor da electrónica em doses incrivelmente equilibradoras do resultado final. Intemporal.
A elegância proporcionada por este "Le Jeu" é verdadeiramente assombrosa, quer se reine por ambientes pop mais jazzy quer se rume em direcção à "chanson française", este disco atinge o auge principalmente na voz de Sylvie C.
De uma simplicidade rumo…

SECÇÃO MP3|"Sansão Foi Enganado" - Bunnyranch

"Sansão Foi Enganado", agora pelos Bunnyranch...mais de 40 anos depois!
Já por aqui se falou em "Sansão Foi Enganado" de Zeca do Rock, conhecido por ter sido o primeiro yeah gravado da música portuguesa, lembram-se? Muito bem, Henrique Amaro convidou os Bunnyranch a recriar o tema e estes, aceitaram.
O resultado? É rock'n'roll pois então.
É mesmo o grande destaque de hoje!

Download deste momento único: "Sansão Foi Enganado" pelos Bunnyranch.


Rock'n'Roll
www.myspace.com/bunnyranchspace

MYSPACE SONS|Qwentin+The Firstborn+Vespa

São três propostas tão diferentes quão interessantes...
> Qwentin



Não é apenas um projecto musical. Apresentado há dias o seu espectáculo de música, vídeo e performance teatral, “Homem-Tudo” (envolvendo um grupo alargado de pessoas), Qwentin configuram-se efectivamente como uma grande surpresa. Surpresa? Não tanto assim, pensando bem, há algum tempo que o nome da banda vai sendo referenciado por alguns cantos. Com vários temas on-line, é possível absorver desde já toda a energia, arte e originalidade que o grupo do Cartaxo tem para nos oferecer.
Eminentemente teatral, eminente prazer...outra forma de um rock alternativo, a experimentar, absolutamente. Ouvir. Aqui há ainda mais.

> The Firstborn



Surpreendente. Indubitavelmente um dos melhores álbuns do metal luso em 2005, “The Unclenching of Fists” é uma experiência abismal, quase religiosa - de conceito baseado no livro tibetano “Book of the Dead”. Muito para além da experiência musical extrema que é, “The Unclenching of Fists” é pos…