Avançar para o conteúdo principal

HÁ 1 ANO ATRÁS|"Antologia de Música Electrónica Portuguesa" - Vários Artistas



Há um ano atrás escreveu-se aqui...

A compilação "Antologia de Música Electrónica Portuguesa", organizada por Rafael Toral, é muito mais do que uma mera compilação. É antes de mais, um antologia - obviamente, quase - na verdadeira acepção da palavra, uma forma muito própria do seu organizador ver a história da música electrónica portuguesa - especialmente a sua emergência. É um extraordinário documento, histórico, verdadeiramente caracterizador de alguns dos caminhos trilhados pela música electrónica portuguesa, nas suas mais variadas abordagens. Espaço de prazenteira audição, é também espaço de pura reflexão e compreensão de um movimento há muito iniciado e que tem entre nós, alguns exemplos internacionalmente reconhecidos.
Terceira edição da Plancton Music...electrónica, experimental, improvisada, fundamental...

01 Nuno Canavarro - 'Alsee' (1987), na peugada do central 'Plux Quba', apresentado ao sol em 1988 via Ama Romanta.
02 Cândido Lima - 'Oceanos' (1978), a alma, pura, de percursoras experiências musicais nascidas através do computador...Cândido Lima.
03 Nuno Rebelo - 'New Amp' (1984), as primeiras aventuras pelo amplo - infinito - espaço do experimentalismo, do improviso...longe do ser pop.
04 Isabel Soveral - 'Anamorphoses I' (1994), paixão espacial de paisagens e ambientes longínquos, fruto de transformações consequentes...belo.
05 Filipe Pires - 'Homo Sapiens' (1972), enorme experiência electroacústica, trabalha partes de vozes numa fusão única...excelente.
06 Telectu - 'Performance #' (1984), obra larga, minimal, repetitiva, brilhantemente experimental.
07 Jorge Peixinho - 'Elegia a Amílcar Cabral' (1973), meditação pura e electrónica para Amílcar Cabral, emocional também.
08 Rafael Toral - 'Mills Session (introdução)' (1997), o longo improviso em volta do som, do ruído, das ressonâncias e outras frequências.
09 João Pedro Oliveira - 'Silence to Light' (1992), os enigmáticos jogos do silêncio, do som, da surpresa constante...
10 Anar Band - 'Plasticman' (1977), do free-jazz ao experimental, improvisado, ou ao contrário. Do improviso ao free-jazz, sempre, sempre experimentando.
11 René Bertholo - 'África Aqui' (1996), África digital, de simulação de batuques ao longe ou o cabrito que afinal não o era.
12 Carlos Zíngaro - '#444-07' (1981), exploração pura da sintetização, da sequenciação, assim, sem rede...
13 Emanuel Dimas de Melo Pimenta - 'Lisbon Revisited' (1986), uma fita magnética, um computador e o sintetizador de voz, ou a maquinaria ao dispor da invenção.
14 No Noise Reduction - 'RLO I' (1995), "circuitos de feedback modulado com guitarra eléctrica e amplificadores de brinquedo", pois...
15 António Ferreira - 'O Verão Nasceu da Paixão de 1921' (1988), a excelente experiência que nasceu de um computador Atari, um sintetizador e algumas fitas pré-gravadas.

> Fonte: Livreto

sítio
"Antologia de Música Electrónica Portuguesa" - Vários Artistas (Plancton Music, 2004)

capa de Antologia de Música Electrónica Portuguesa www.planctonmusic.com

Mensagens populares deste blogue

AUDIÇÕESBrilhante Pop 2003
São 3 discos pop, mais à esquerda, mais à direita, mais ao centro, trazem ao microfone 3 excelentes vozes femininas:
"Le Jeu" - Balla (2003/Music Mob/58)

Um disco irresistível.
Fantástica a voz sensual de Sylvie C em mais um lúcido disco de Armando Teixeira, melódico, marcado por ambientes voluptuosos, por uma pop interior, estética e poética.
Imageticamente irresistível, qual bandeira gaulesa a flutuar. Depois de um prometedor e excelente primeiro álbum, "Balla", Armando Teixeira voltou a surpreender as massas melómanas em 2003, com um disco cheio de charme e personalidade, sustentado pelo rigor da electrónica em doses incrivelmente equilibradoras do resultado final. Intemporal.
A elegância proporcionada por este "Le Jeu" é verdadeiramente assombrosa, quer se reine por ambientes pop mais jazzy quer se rume em direcção à "chanson française", este disco atinge o auge principalmente na voz de Sylvie C.
De uma simplicidade rumo…

SÍTIOS|On-Line Music Distributors

Não se pode ignorar...
Com a implantação da Internet e principalmente com a generalização do acesso por banda larga, não só os músicos independentes ganharam uma nova forma de divulgar a sua música - para alguns é e será mesmo a única, como promotores e público em geral ganhou uma nova forma de a consumir - nova e gratuita. Com o aparecimento das On-Line Music Distributors (OMD), ou semelhantes, muitos músicos tiveram a oportunidade de largar em definitivo a solidão dos seus quartos e garagens e mostrar as suas criações a um mundo cada vez maior. À falta de palco, grande parte da comunidade musical independente ganhou efectivamente uma nova forma de exposição - barata, global e às vezes eficiente. As OMD (e semelhantes) têm servido nos últimos anos para divulgar centenas e centenas de artistas, sendo hoje, um fenómeno em extraordinária expansão; tão grande que chega a ver a razão da sua existência desvirtuada e aproveitada por artistas já consagrados; veja-se o exemplo do último álbum …

RECORDAÇÕES|"Anonimato" - Anonimato

A recordação ou o regresso ao Alentejo; o de sempre, aquele do suor, das noites frias de Inverno, da vadiagem...de tudo.
Mas...regressando à música, algum espaço para os Anonimato; fenómeno especialmente regional - e que fenómeno - os Anonimato foram durante os anos de 1990 a 1997 um dos grandes - se não os maiores - embaixadores do pop-rock alentejano - sim, alentejano, neste âmbito até faz sentido. Com dois álbuns editados durante a sua curta carreira, este, o homónimo, traz os temas pelos quais o quarteto bejense mais ficou conhecido e que maior furor fizeram por esse Baixo Alentejo fora: "Sei que não sou" - pois claro, "Gravatas" e "Grão de Amor". Mas porquê? Não sei, senão as recordações que trazem, o que fazem sentir, a agradável textura pop que acompanha boa parte daquelas sinceras palavras lusas; bem medidas, bem sentidas. Depois, ainda há o aroma do Alentejo, também...aqui e ali, além. Liderados por Paulo Ribeiro, autor de um álbum solo em 2002, …